Todos os artigos de revistapontesdevista

MARIA LUÍSA MALATO

MARIA LUÍSA MALATO é professora associada (com agregação) na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Membro do Instituto de Literatura Comparda e da Sociedade Portuguesa de Retórica, faz presentemente parte da Direção da Associação Portuguesa de Literatura Comparada.

Ler artigos desta autora.

Anúncios

RENATO EPIFÂNIO

RENATO EPIFÂNIO é professor Universitário; Membro do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto, da Direcção do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira, da Sociedade da Língua Portuguesa e da Associação Agostinho da Silva; investigador na área da “Filosofia em Portugal”, com dezenas de estudos publicados, desenvolveu um projecto de pós-doutoramento sobre o pensamento de Agostinho da Silva, com o apoio da FCT: Fundação para a Ciência e a Tecnologia, para além de ser responsável pelo Repertório da Bibliografia Filosófica Portuguesa (www.bibliografiafilosofica.webnode.com); Licenciatura e Mestrado em Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; doutorou-se, na mesma Faculdade, no dia 14 de Dezembro de 2004, com a dissertação “Fundamentos e Firmamentos do pensamento português contemporâneo: uma perspectiva a partir da visão de José Marinho”; autor das obras “Visões de Agostinho da Silva” (2006), “Repertório da Bibliografia Filosófica Portuguesa” (2007), “Perspectivas sobre Agostinho da Silva” (2008), “Via aberta: de Marinho a Pessoa, da Finisterra ao Oriente” (2009), “A Via Lusófona: um novo horizonte para Portugal” (2010) e “Convergência Lusófona” (2012/ 2014). Integra a Direcção da NOVA ÁGUIA: Revista de Cultura para o Século XXI (www.novaaguia.blogspot.com) e é o Director da Colecção de livros com o mesmo nome (Zéfiro). É o Presidente do MIL: Movimento Internacional Lusófono (www.movimentolusofono.org).

Ler artigos deste autor.

MARIA CELESTE NATÁRIO

MARIA CELESTE NATÁRIO é docente da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Enquanto investigadora, tem-se dedicado, em particular, à filosofia e cultura portuguesas, tendo publicado: O Pensamento Dialéctico de Leonardo Coimbra: reflexão sobre o seu valor antropológico(1997); O Pensamento Filosófico de Raul Proença (2005);Entre Filosofia e Cultura: percursos pelo pensamento filosófico-poético português nos séculos XIX e XX(2008); Itinerários do Pensamento Filosófico Português: da Origem da Nacionalidade do Século XVIII (2010);Pascoaes: Saudade, Física e Metafísica (2010). Tem organizado múltiplos encontros científicos. Coordena o projecto de investigação “Raízes e Horizontes da Filosofia e da Cultura em Portugal” (Instituto de Filosofia da Universidade do Porto).

Ler artigos desta autora.

MARIA JOSÉ MAYA

MARIA JOSÉ MAYA é licenciada em Filosofia, tem a parte curricular de um mestrado em Literatura e Cultura Portuguesa e um mestrado em Educação.Publicou “A gaivota do mar” na Asa, “Viagem na Linha” na Lidel, “A autoridade do professor” na Texto, “Delfim Maya” e “Escultura e Desporto em Portugal”, na Inapa. Foi fundadora e directora da revista “Orientação Escolar e Profissional”, da A.P.O.E.P., em que publicou artigos. Publicou poemas na revista Sol XXI, colaborou no livro “25 poemas a José Afonso”, e 33 Haikus a Lisboa” da C.M. Lisboa. Publicou “do barro à luz”, livro de poemas, em edição de autor. Participou em vários programas televisivos, tais como “Uma história ao fim do dia”, na RTP1, com histórias escritas e contadas por si. É declamadora e animadora de tertúlias poéticas.Fundou a 8 Séculos de Língua Portuguesa-Associação, de que é Presidente, e que está a promover as Comemorações dos 8 Séculos da Língua Portuguesa.

Ler artigos desta autora.

ELSA CERQUEIRA

ELSA CERQUEIRA é licenciada em Filosofia pela FLUP, tem colaborado na qualidade de investigadora com o Instituto de Filosofia. Curso de pós-graduação em Filosofia, área de especialização em Filosofia Moderna e Contemporânea da Universidade do Minho. Curso de Cinema e Intervenção promovido pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação do Porto. É professora de Filosofia e Coordenadora do Plano Nacional de Cinema na Escola Secundária/3 de Amarante e Vice-presidente do Cineclube de Amarante. Cofundadora do Festival European Short Films e do Clube de Leitores de Amarante. Membro do Júri do Fafe Film Fest, 2014. Publicou vários artigos em revistas especializadas no âmbito da Estética e da Antropologia Filosófica. Autora do blogue http://polegarmente.me/

Ler artigos desta autora.

RICARDO VELÉZ RODRÍGUEZ

RICARDO VELÉZ RODRÍGUEZ possui graduação em Filosofia pela Universidade Pontifícia Javeriana (1964), graduação em Teologia – Seminário Conciliar de Bogotá (1967), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1974), doutorado em Filosofia pela Universidade Gama Filho (1982). Realizou pesquisa de pós-doutorado no Centre de Recherches Politiques Raymond Aron – Paris (1994-1996), sob a orientação de Françoise Mélonio. Atualmente é conferencista e membro do conselho consultivo da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa), professor associado da Universidade Federal de Juiz de Fora e professor emérito da ECEME.
Ler artigos deste autor.

ISABEL CRISTINA MATEUS

ISABEL CRISTINA MATEUS é docente de cursos de 1º, 2º e 3º ciclo, investigadora do CEHUM, Directora-Adjunta do Departamento de Estudos Portugueses e Lusófonos, Membro eleito do Conselho Científico do Instituto de Letras e Ciências Humanas, UM, e Membro eleito do Conselho Pedagógico doo Instituto de Letras e Ciências Humanas, UM.

Ler artigos desta autora.

FRANCISCO TOPA

FRANCISCO TOPA é Professor Associado da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, lecionando nas áreas de Literatura e Cultura Brasileiras, Crítica Textual, Literaturas Africanas de Língua Portuguesa e Literaturas Orais e Marginais. Doutorou-se em Literatura, em 2000, na mesma Faculdade, com uma tese sobre o poeta barroco Gregório de Matos.

Ler artigos deste autor.

A língua: pátria ou expatriamento?

Paulo Borges

[Fernando Pessoa só não errou de todo ao escrever “Minha pátria é a Língua Portuguesa” porque o seu uso da língua era o de um fugitivo por entre as grades que sabia ilusórias, como tudo no mundo, a começar por si próprio.]

FALTA FOTO

Continue reading A língua: pátria ou expatriamento?